Scroll Top

Assine GRÁTIS nossa Newsletter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Curiosidades

Uma questão de inteligência

Como havia dito no post passado sobre musicas anos 80, que a falta de inteligência /criatividade faz com que esta geração fique ligada a modelos de tempos passados. E disse que tinha um artigo do Prof. Francisco Neto muito bom sobre isso e que publicaria o  conteúdo completo noutra oportunidade. Então, com a permissão do autor segue o conteudo publicado originalmente no DM.com. Boa leitura e abraços a todos.

Falta inteligência para nossa geração?

falta inteligência aos nossos jovens

É interessante perceber o tanto que somos menos inteligentes ou criativos que as gerações do passado. Percebemos que o nosso presente era o futuro mirabolante de muita gente no passado, porém a nossa geração por falta de inteligência, criatividade ou por preguiça parou de criar/inventar. Temos tanta tecnologia, mas nada de novo na moda, na música, no estilo de vida etc.

Jovens que se acham extremamente descolados, com seus iPhones, tablets nas mãos, suas redes sociais conectados com o mundo todo, todo tempo, WhatsApp, Facebook,, Instagram e Snapchat, seus megapower jogos de vídeos games; mas quando olhamos para o que trazem em sua bagagem de inovação de vida e revolução, lembrando que cada geração teve a sua tecnologia, olhamos para eles e logo percebemos que estão usado o bigode do pai, dos anos 60, o vestido da mãe do anos 70, os óculos do Marcelo nova, vocalista da banda Camisa de Vênus dos anos 80, o cabelo dos Beatles; dos anos 90 trazem, as camisas xadrez, as calças rasgadas do Nirvana com o bom e velho estilo Grunge, o jeans colorido e despojado. Eles chamam de retrô, eu digo que é falta de criatividade, incapacidade de criar o novo, pouca inteligência. Segundo o doutor Glenn Wison do King´s College de Londres, o uso compulsivo da internet produz uma queda do QI que é o dobro provocada pelo uso continuo da maconha.

Lembro-me de um desenho antigo da década de 80 que assistia quando era criança, a família Jetsons. Uma família futurista espaçonaves, robô doméstica, jatos de transportes, carros voadores, cidades suspensas, trabalho automatizado, coisas que só veríamos no século XXI, no ano 2000, o ano dois mil já passou tem 14 anos, alguns avanços, sim em bem visto, mas o futuro esperado, apresentado nos filmes e desenhos, onde máquinas tomariam o lugar dos humanos, ou humanos evoluídos intelectualmente, esse não. Acredito que com a geração que temos aí e a que está chegando, vamos esperar mais uns 2000 anos para isso acontecer, pois percebemos que cada vez que avançamos tecnologicamente, regredimos humanamente, menos contato, muita fala pouca conversa, raríssimos encontros presenciais. Estamos vivendo o que é apresentado no filme Idiocracy de Mike Judge, de 2006, onde ironicamente a tecnologia tirou a inteligência humana.

Falta inteligência? Criatividade? Olhar para o futuro, fazer o novo ou olharmos para o passado e aprendemos com os antigos, conviver mais, contemplar mais, viver mais.

(Francisco Neto, formado em Teologia e Pedagogia, especialista em educação e psicopedagogia – http://amarelasinternet.com/professorfrancisconeto)

Sobre o autor | Website

Funcionário publico, historiador e blogueiro por paixão. Nascido nos anos 70 curti toda minha adolescência nos anos 80 e 90. Agora gosto de relembrar os bons momentos e fatos que marcaram época.

Gostou do Conteúdo?

Assine GRÁTIS nossa Newslleter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. Carlos Taconi disse:

    Não acredito que seja falta de inteligência e sim excesso de distrações nos dias de hoje, a enorme quantidade de informações hoje disponíveis, nos anos anteriores a década de 90 a humanidade estava criando um estilo futurista, este foi o motivo de tanta criatividade e estilos.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.