Presidente Figueiredo, o último do regime

16
325
views

Bom dia amigos (ou boa noite), terminando uma série de posts dedicados aos anos do governo militar, vamos hoje falar um pouco sobre do Presidente João Batista Figueiredo, ultimo do regime, percebi que os outros post sobre o assunto foram muito comentados (Presidente Médici e Presidente Geisel) o que é bom, pois mostra que o assunto e interessante e que acertei na escolha.  Inclusive ouve uma certa divisão entre os prós e os contra o regime. Quero continuar tendo a opnião de todos, este blog nasceu para ser participativo. E você qual sua opnião?

Vamos ao assunto da vez? Depois de ter passado pelos chamados “anos de chumbo”, quando o Brasil era governado pelos militares que eram eleitos sem qualquer tipo de participação dos brasileiros de forma direta e democrática, o governo do presidente João Figueiredo acabou sendo marcado pela transição entre a ditadura e a democracia. O Presidente Figueiredo foi o último militar que assumiu a Presidência da República.

Foi um mandato complicado em todos os sentidos. Tanto para a cúpula militar que não estava mais conseguindo segurar o regime instaurado no poder da república, seja para João Figueiredo que teve que lidar com uma série de manifestações contra os militares e também para o povo, já que foi durante o seu governo que o País acabou enfrentando uma das maiores crises financeiras da sua história.

O começo do Governo do Presidente Figueiredo

 Presidente Figueiredo, o último do regime Fatos
Presidente Figueiredo

João Figueiredo assumiu a Presidência da República indicado pelo ex-presidente Ernesto Geisel. Assumiu o cargo máximo do comando nacional no dia 15 de março de 1979 e, assim que assumiu o comando do Brasil, já teve que lidar com o início de uma grave crise econômica que estava apenas na sua fase inicial.

A Crise Econômica

 

Os militares conseguiram o apoio de uma boa parcela da população mostraram ao mundo que estavam levando o Brasil pelo caminho correto através de uma série de reformas que fizeram com que o País desse um salto na economia, conseguisse se industrializar e melhorar as condições para boa camada da população. O período foi conhecido como Milagre Econômico, entre os anos de 1968 e 1973.

O problema que boa parte do financiamento desta grande quantidade de obras que foram feitas no País inteiro foram feitas com empréstimos adquiridos em países estrangeiros. E, com isso, o Brasil passou a acumular uma grande quantidade de dívidas. Mas conforme o dinheiro era gasto o Brasil não conseguia pagar suas dívidas e via seu acesso ao crédito sendo cortado. Além disso, a grande expansão na economia sem uma estratégia clara acabou gerando a inflação, que viria a crescer muito nos próximos anos.

Todo este cenário acabou gerando um clima de insatisfação de parte do povo, que até então ainda estava acobertado pelo Milagre Econômico. Quando medidas foram tomadas para tentar corrigir a economia, o mundo acabou enfrentando uma recessão e uma crise relacionada ao petróleo, o que acabou dificultando a recuperação de países como o Brasil.

Mudanças políticas

 

Com a pressão que começava a surgir nas ruas, e também com as dificuldades internas enfrentadas pelos militares, que já não conseguiam mais criar uma união como no começo dos anos de chumbo, o Presidente Figueiredo promoveu uma série de mudanças políticas. A primeira e mais impactante delas foi o término do sistema bipartidário e a autorização para a criação de novos partidos políticos.

O Presidente Figueiredo também mudou o sistema de eleição para os governos dos estados, autorizando a eleição direta com os votos da população. Todas estas mudanças desagradaram à última grande resistência da ditadura, os militares “linha dura”, que começaram a atacar as manifestações populares. Foi durante o governo de Figueiredo que aconteceu o famoso caso do atentado ao Riocentro.

Tudo isso acabou mobilizando a população, que foi para as ruas no maior movimento de popular da história do Brasil, o Diretas Já – milhões de pessoas foram para as ruas com as caras pintadas pedindo pelo fim da ditadura.

Artigo anteriorPresidente Ernesto Geisel
Próximo artigoIron Maiden pais do Heavy Metal
Nascido nos anos 70 curti toda minha adolescência nos anos 80 e 90. Agora gosto de relembrar os bons momentos e fatos que marcaram época.
COMPARTILHAR

16 COMENTÁRIOS

  1. Sempre gostei do governo Jõao Figueredo,seu maior erro foi deixar esta falsa democracia tomar conta do Nosso Brasil,onde até hoje somos obrigados a votar,onde todos os mal tomaram conta do nosso Brasil,votamos em maquinas eletronicas para mim não são nenhum momentos confiavel,ela é facil de ser manipuladas os votos,tenho saudade quando os militares eram nossos presidente,tinhamos mais seguranças e lei,era só ruim para os bardeneiros que nós governas hoje,veja como esta hoje o nosso Brasil,nunca foui militar nem tenho parentesco com eles,só apenas um simples cidadão comum.

    • Meu deus a quanto andas os brasileiros. Figueiredo não foi um bom governante, foi um dos piores que já tivemos, no período militar os que mais renderam foram Médici e Geisel este sim são exemplos. Caro erom no período Figueiredo também votávamos e até chegamos a votar para governador de novo em 1982 e era obrigatório não sei de onde tiraste estas perolas e a urna eletrônica de 1996, será que quer dizer que o processo de informatização do TSE em 1985 que desenrolou na urna foi feito pelos comunas?

  2. Sempre haverá erros! Sob qualquer governo, um país contabilizará os erros inevitaveis da administração, mas…no frigir dos ovos, o que realmente conta???
    Conta a diferença abismal do antes e do hoje, que se traduz unica e exclusivamente em uma coisa: TODOS os governantes militares terminaram pobres, simples e sem muitos bens.
    Muito diferente da farsa e farsantes com os quais hoje convivemos.

    …e continuo dizendo: quem defende marginal, nada difere deles!

  3. Não sou a favor da ditadura, sou a favor do que o governo militar fez para melhorar o pais. A educação da época era melhor, minha mãe me conta como decaiu o ensino pós ditadura (foi assim que ela concluiu o ultimo ano do ensino médio, ela fala que simplesmente ficou ridículo o ensino). Mas, foi dado um brinquedo novo a uma criança mimada, que por não saber como usar deixou de lado. Por isso essa situação caótica atualmente.

    • O começo da decadência na educação começou justamente no regime militar, mas precisamente a partir de 67. Alexia seu mãe se formou no final da década de 80?, pois até 88 ainda valiam na maioria das regiões as leis do constituição do período anterior.

  4. apesar da ditadura, ele promoveu aAnistia ( ampla ) e abertura politica, gostava mais dos cavalos do que gente, era zoado no Viva o Gordo ( o general que entrava em coma e acordava em plena democracia) tempo do SNI linha dura. seu lema ‘Prendo e Arrebento”

  5. O regime militar é tão bom, mas tão bom que desmoronaram quase todos, e em todos os países que governaram o povo era explorado e passava fome, todos estes países faliram e o regime militar teve que sair, nos países que ainda existe o regime militar, todos sem exceção, estão falidos e a população em estado de miséria. Se era tão bom assim, por que todos acabaram!?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here