Scroll Top

Assine GRÁTIS nossa Newsletter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Curiosidades

O homem e a crise dos 40 anos

Esta é uma carta de um homem na crise dos 40 anos. Por favor leitores, podem comentar discordar e até criticar, mas leiam até o fim este relato simples e verdadeiro. Talvez alguém mais esteja ou já tenha passado por esse momento de auto análise que queira ou possa contribuir com quem está nesta crise.

Viva a crise dos 40 anos com alegria

“Todos os dias quando acordo não tenho mais o tempo que passou…”, lembram? Nossa geração vive realmente essa realidade. Não somos mais os mesmos, temos família, emprego, dívidas…. E tudo mais que a idade adulta implica. Mas temos ainda a cabeça tão jovem, desejamos ter, lutar, conquistar. Coisas de adolescente mesmo, aquela necessidade de alto afirmação bem inerente, sabe?

crise dos 40 anosVemos o tempo passar sempre com ar de saudades, tentando entender em que momento crescemos. Mas já temos nossos filhos, ainda crianças que para tudo precisão de nós, mas ainda precisamos de tanto… Como entender essa dicotomia? Não sei se posso entender ou saber a resposta, afinal não e este meu objetivo. Está muito além do meu entendimento.

Passei dos 40 tão rápido que não me lembro dos vinte, quinze, dez… Estou muito longe de me sentir velho, de fato não sou velho. Das minha lembranças de infância me recordo daquele velha casa de tijolo de barro (massapé). Lembro do meu primeiro colchão e minhas tentativas de amaciá-lo. Lembro de só comer carne uma vez por semana, pois era o que o dinheiro podia pagar. Meu pai trabalhando em dois empregos para sobrevivermos , tempos difíceis aqueles Anos 70.

Lembranças de infância

Lembro também de ir no super-mercado e sempre ver pelo corredor funcionários com aquela maquina de remarcar os preços. Hoje sei que era a inflação que sempre elevava os preços para desespero das famílias. Por isso meu pai estava sempre nervoso, eu não entendia pois  não sabia o que era inflação.

Nos anos 80 as coisas melhoraram um pouco, em 1985 conseguimos uma casa financiada pelo estado, tipo“minha casa minha vida” de hoje. Foi a primeira vez que moramos numa casa nossa mesmo. Ate então só tínhamos morado de aluguel, foi um grande avanço para nossa família. Bons tempos os anos 80, época em que fiz meu ensino médio e tinha ainda o Titãs, Ira, Plebe e Rude, Legião Urbana e minha juventude para combinar.

Meu pai se sacrificava para me manter  só na escola, nunca me deixou trabalhar. Juro até tentei, mas a preocupação maior era como os estudos e meu pai pedia para eu me dedicar na escola que ele me manteria enquanto estivesse estudando. Claro que foi o melhor para mim,  tive uma  juventude regrada mas feliz. Bem, faculdade foi outra historia, meu pai já não tinha como pagar e passar numa Universidade Federal era para os filhos dos ricos, não tinham tantas opções de cursinhos preparatórios como hoje, nem ENEM… Por isso tive que esperar muito, trabalhar ter uma carreira ou profissão. Mas quantos de nós não passou por isso, né?

Isso tudo passou tão rápido. Hoje mais do que nunca entendo meu pai e sou, segundo dizem, muito parecido com ele. Já começo a ter certos problemas de saúde, apesar de me sentir jovem meu corpo dá sinais de fraqueza. O dia-a-dia é meu maior inimigo, não consigo me cuidar, por isso começo a engordar e além do peso físico tem o emocional. Ninguém quer ficar mal com o espelho. Tem outro detalhe que no meu caso é cruel os cabelos, aliás a falta deles.

Temores íntimos

O pior disso tudo e encarar a dura realidade que o tempo passou e passa para todos e é duro ver seus pais  chegando ao fim da caminhada. A certeza de que o fim é inevitável é uma dura realidade que se revela à minha frente, tudo que nem imaginava a 20 anos atrás, agora são fantasmas que me assombram. Pois é,  os homens também passam por crises. O objetivo aqui e rememorar um caminho que me trouxe ate aqui, creio que os amigos em algum momento da vida também fizeram esta reflexão. confira este artigo no site Uol e veja  mais sobre o assunto, vale a pena é bem instrutivo, uma ajuda para passarmos por isso com mais alegria.

Sobre o autor | Website

Funcionário publico, historiador e blogueiro por paixão. Nascido nos anos 70 curti toda minha adolescência nos anos 80 e 90. Agora gosto de relembrar os bons momentos e fatos que marcaram época.

Gostou do Conteúdo?

Assine GRÁTIS nossa Newslleter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

6 Comentários

  1. Pedro H. disse:

    Não se angustie tanto. Guarde um pouco de sentimentos, é só o que vais ter. Quando chegar aos cinquenta (e poucos) vai ficar BEM pior… na cabeça tem disposição e vigor, experiência e maturidade. Para os outros estás velho, inútil, atrasado, incapaz, e se estiver sem emprego, daí fudeu de vêz… vais ter vaga só como empacotador de supermercado e tuas opiniões não valem nada. E também tem as mulheres… elas não riem para você, elas riem DE você… e dinheiro, é para dar aos filhos, ex-mulher(que será para sempre, até que a morte os separe) e comprar remédios para pressão, stress, diabetes, memória, estômago, etc e tal.

  2. Luciano disse:

    Posso estar enganado, mas caras que se casam que geralmente sofre dessas crises hehe. Sobre o comentário de virar empacotador de supermercado após os 50, me desculpe, mas pro cara chegar nesse ponto, é porque deixou de fazer muita coisa nos 30 anos antes de chegar a isso.

  3. saullo disse:

    o comentário do pedro é um grande incentivo…para o cara dar um tiro na cabeça uahsuahs

  4. Wellington disse:

    Tenho 36 anos e tb já começo a sentir o peso da idade. Mas resolvi tomar uma posição positiva com relação a ela: passei a correr e a desenvolver hábitos saudáveis de alimentação e prometi para mim mesmo, Chegar muito bem aos 40! até me consultei numa clínica de transplante capilar para melhorar a minha imagem física, mas o conteúdo é o mais importante pois não quero ser um quarentão bobão. Tb é triste ver os nossos pais passarem a depender tanto da gente, pois os papeis se inverteram…os nosso pais se tornaram nossos filhos…meu caso o meu pai, pois a minha saudosa mãe já é falecida. Mas não trocaria a minha idade por nada pois vivemos o período mais fantástico da história: os anos 80!

    • Eli Braz disse:

      Wellington, ouvi em algum lugar dias atrás que só existe uma forma de não envelhecer, é morrendo jovem. Envelhecer é uma dádiva, pois estamos tendo a oportunidade de passar por todas as etapas da vida, cumprindo um ciclo que é completo e pode ser muito proveitoso. Só depende de nós. Abraços e continue nos acompanhando.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.