Scroll Top

Assine GRÁTIS nossa Newsletter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Curiosidades

Literatura escolar antiga

A literatura escolar antiga , aquela que tivemos acesso nos anos 80, era muito boa. Meus tempos de escola (anos 80) são cercados de lembranças. No meu caso lembro dos amigos, das brincadeiras, da bagunça e de alguns livros que li. Lembram da Série Vaga-lume? Eu lembro demais. São estórias fantásticas que povoavam nosso imaginário.

São vários livros, pelo que me lembro. Mas alguns ficaram guardados na minha memória, e com prazer compartilho com os amigos. Claro que a medida que forem lendo o post e lembrarem de algum livro que fez parte da literatura escolar antiga,  podem deixar o nome no final do post.

 Lembranças da literatura escolar antiga

 

literatura escolar antigaO livro  O Caso da borboleta Atíria, fala de um crime no mundo dos insetos que põe em ação Atíria, a borboleta-detetive, num livro em que suspense e fábula se misturam. Quem era o assassino? A coruja ou a mariposa? Fantástico, não posso elogiar demais porque os outros que li também foram ótimos.

literatura escolar antigaTonico pobre e órfão de pai, Tonico sonha com uma vida independente e começa a trabalhar como engraxate, percorrendo as ruas com o amigo Carniça. Uma estória que poderia ser uma história, tão triste, merecia uma continuidade, e foi o que aconteceu;

Tonico e Carniça. Tonico é um menor abandonado, e Carniça seu melhor amigo. Juntos eles enfrentam os preconceitos da sociedade e tentam provar que não ter um lar não faz deles marginais. A discriminação e os perigos desafiam os pequenos heróis. Tanto esse quanto o primeiro ficaram marcados para mim pela carga de sofrimento imposta aos personagens. Um clássico da literatura escolar antiga.

literatura escolar antigaA Serra dos dois meninos. a história dos dois irmãos que vão explorar sozinhos um morro na fazenda do pai e acabam se perdendo na mata, vivendo a partir daí uma série de aventuras em meio a mata e seus perigos. Quem se lembra deste livro?

Menino de asas, esta é a história de um menino, que ao nascer sua mãe ficou muito triste, ao ver que ele tinha um par de asas. O pai consolou-a dizendo: “- Há de ser obra de Deus, mulher. Ele sabe o que faz.” Consolada,literatura escolar antiga passou a ver no estranho acontecimento um desígnio divino: Deveria ser um anjo, por isso asas em vez de braços. Meio pássaro e meio gente. Um mensageiro de Deus.  Mas nem tudo foram flores para ele, que sofreu com o preconceito por ser diferente. Nele alguns valores como tolerância são bem trabalhados.

Zezinho, dono da porquinha preta, Zezinho criava uma porquinha preta , que pegou desde pequena, e a mimava muito ; tratava como se fosse um cachorrinho. A porquinha cresceu e seu pai não queria mais ela dentro de casa, queria vender a porquinha. Zezinho não deixou que isso acontecesse, pegou a porquinha que estava prenha e a levou para uma gruta, onde cuidava e alimentava sempre. Toda a estória gira em torno do amor que Zezinho sentia pelo animal. Um bom Livro.

literatura escolar antiga

Sozinha no mundo. Este livro é muito triste e também meu preferido. Pimpa é uma menina que fica órfã, quando sua mãe morre na viagem de Serra Azul para São Paulo. A partir daí começa a viver grandes aventuras, tentando achar seu “tio” Leonel. Ela possui uma oncinha de pelúcia, Lila, que é uma grande amiga e acompanha em toda a trama. Lila foi um presente que seu pai mandou quando abandonou ela e sua mãe. Ela vive grandes perigos buscando seu tio, não querendo ficar em nenhum orfanato ou em outra família. Nisto conhece algumas pessoas, como Berenice e Noel que ajudam ela no que podem, o juiz deixa ela ficar com eles até o juizado achar seu “tio” e decidir o destino dela. Nisso aparece uma suposta assistente social acompanhada por outras 3 pessoas que tenta levar embora a menina a qualquer custo . No final do livro ela encontra tio Leonel que se chamava Dr.Julio. Já leram este livro? Eu indico.

literatura escolar antigaCem noites tapuias,  é uma narrativa que aborda o conflito entre garimpeiros e índios no Mato Grosso. Quincas Venâncio é o pai de Quinquim, que junto com a professora, uma “bugra”, foi raptado pelos índios xavantes. A narrativa do rapto e do resgate dos dois se apresenta paralela a uma série de histórias contadas por Joana, a bugra-professora, para tentar amenizar o sofrimento da criança. São mitos e lendas indígenas, em que as lições de comportamento tornam-se exemplares.

Durante as cem noites em que passam presos, são contadas histórias pertencentes ao folclore brasileiro, incluindo o mito do saci, explorado anteriormente por Lobato, e aventuras de animais típicos da fauna brasileira, como a anta. São também incluídas nas histórias trechos de cantigas e quadrinhas típicas do folclore nacional, fato enriquecedor da narrativa, que além da história de Quinquim traz ao leitor o conhecimento de elementos de sua cultura, sob a forma agradável da literatura de entretenimento. Fonte: Skoob

 literatura escolar antigaO livro  “A Ilha Perdida”, é uma parte da literatura escolar antiga que não posso deixar de falar. Foi o que abriu as portas da leitura para mim. Como não se envolver nesta aventura de Henrique e Eduardo de doze e quatorze anos que se perdem em uma ilha após remarem no rio que cortava a fazenda de sua madrinha. Eles queriam chegar a ilha movidos pelo puro espírito de aventura. Eram garotos que sabiam nadar, remar e se viravam bem nas dificuldades. Muito boa a estória. Acho até que vou reler o livro.

 Gostaram do post Literatura escolar antiga ? Mataram saudades dos tempos de escola? Eu sim. Deixem seu comentário, curtam ou compartilhem nosso conteúdo. Abraços.

Sugiro a leitura deste outro post:

Literatura Marginal dos anos 70 

Sobre o autor | Website

Funcionário publico, historiador e blogueiro por paixão. Nascido nos anos 70 curti toda minha adolescência nos anos 80 e 90. Agora gosto de relembrar os bons momentos e fatos que marcaram época.

Gostou do Conteúdo?

Assine GRÁTIS nossa Newslleter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

6 Comentários

  1. Tales Passos disse:

    Me lembro dos livros da Bruxa Onilda.. Não sei de que época são, mas li nos anos 90!

  2. Boa sacada !
    a série vaga-lume tem um grande conceito de literatura,
    pois o grande acervo de livros deixam seus leitores fascinados
    por cada história,cada livro na década de 80 nas escolas públicas
    era motivo de aprendizado da língua portuguesa,os livros desta
    série que trago até hoje comigo, são eles;o caso da Borboleta Atíria,
    Eramos seis,A Ilha Perdida,O escaravelho do Diabo,O gigante de Botas etc…
    Livros estes que teríamos que ter em mãos para poder ler e estudar as regras da língua Portuguesa e também como leitura obrigatória.
    Meus parabéns quem divulgou a matéria.
    (meu livro favorito “Eramos seis”)
    A história conta que uma família comum,o pai seu Júlio e a mãe Dona Lola juntamente com seus quatros filhos,narram a trajetória de suas vidas,até a velhice de dona Lola.

  3. Eli Braz disse:

    Realmente são ótimos os livros.

  4. Vivian disse:

    As aventuras de Pimpa. Como lembro deste livro, me acompanhou por muitas noites, havia uma sede em chegar sempre no próximo capítulo. Chorei muito! É como se eu estivesse ali entre os personagens, vivendo cada momento, cada emoção. Emocionante! Não dá pra esquecer! Saudades daquela época!…

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.