Scroll Top

Assine GRÁTIS nossa Newsletter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Curiosidades

Educação Moral e Cívica

Os duros anos em que fui criança e adolescente (1984-88) vivíamos em período de liberdade reduzida quer seja de expressão ou de educação. O regime militar tinha toda uma característica de conduzir a nação e a formação de jovens e crianças. Buscando  aceitação (pela imposição) incluíam nas grades curriculares das escolas disciplinas que pregavam valores que hoje não temos mais, como educação moral e cívica.

Educação Moral e Cívica

educação Moral e cívica

Fonte: http://geopoiesis.wordpress.com/

Como tudo na vida, temos um lado bom e o lado ruim das coisas. Neste caso específico entendo que também se encaixam os dois lados. O ruim certamente era a limitação imposta, o que era tido como certo era imposto, sem a discução em classe, que é salutar em qualquer meio acadêmico ou escolar.

O bom é que se tentava transmitir valores relativos a pátria , cantava-se o hino nacional, hasteava-se a bandeira nas escolas… Hoje nossas crianças não sabem cantar o hino salvo raras e honrosas exceções. Pior é o exemplo de jogadores de futebol que na hora da execução do hino ficam mascando chiclete e não sabem cantar o hino, isso sim é vergonhoso.

“A intenção, aqui, é procurar demonstrar que estes atos, que visavam o controle, o consenso e a legitimidade do regime militar, se manifestavam também na área educacional, principalmente, através da disciplina Educação Moral e Cívica. A EMC atuava, inclusive, na mente das crianças, inculcando valores tais como: obediência; passividade; ordem; fé; “liberdade com responsabilidade” e patriotismo. Estes valores faziam parte dos conteúdos presentes nos livros didáticos de EMC, o que leva a considerar a disciplina como parte da estratégia pscicossocial elaborada pelo governo militar, uma vez que atuava nas formas de pensamentos e nas subjetividades individuais com o objetivo de interferir na dinâmica social” (http://www.uel.br/grupo-pesquisa/gepal/terceirosimposio/natalynunes.pdf)

Se de um lado temos medo de um regime repressor que fez várias vitimas. Do outro temos atualmente um Estado de direitos, só direitos. Por termos sidos educados num regime militar e reprimidos, hoje como pais vemos o excesso de liberdade como um mal que retira limites importantes na formação do caráter  e não sabemos como lidar com um mundo tão acelerado onde aparentemente não há barreiras. e temos um Estado alheio a tudo.

Sobre o autor | Website

Funcionário publico, historiador e blogueiro por paixão. Nascido nos anos 70 curti toda minha adolescência nos anos 80 e 90. Agora gosto de relembrar os bons momentos e fatos que marcaram época.

Gostou do Conteúdo?

Assine GRÁTIS nossa Newslleter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.