Assine GRÁTIS nossa Newsletter e fique sempre atualizado. 

(É grátis!)

Sem categoria Eli Braz

Como era o namoro anos 70?

O namoro dos dias de hoje, sem sombra de dúvidas, acaba sendo muito diferente do namoro anos 70. Existem conceitos e ideais de liberdade que não estavam na pauta desta década. As pessoas nos dias de hoje acabam tendo mais poder de escolha, e talvez esta acaba sendo uma grande diferença dos relacionamentos do passado. Vamos falar sobre isso?

Namoro anos 70 e dos dias atuais. É muito diferente?

Muitas pessoas afirmam que hoje em dia não existe mais compromisso, que as pessoas não querem mais casar, ou ainda que as pessoas querem apenas aproveitar a “pegação”, sem qualquer tipo de compromisso. Mas nunca se casou tanto quanto nos dias de hoje. Os jovens estão cada vez morando mais cedo juntos. É claro que os índices de separação acabam sendo maiores também, mas isso só prova que estamos em uma fase onde as pessoas podem experimentar uma determinada situação, e caso não se sinta feliz, pode tentar outra coisa.

Mais conteúdo para você:  Comidas tradicionais anos 70

Como era o namoro anos 70

Em termos de namoro, quando comparamos os anos 70 para os dias de hoje, podemos afirmar que existe uma grande diferença com relação a padronização. Nesta década, os padrões da sociedade acabavam ditando as regras, e tudo aquilo que saia do padrão era considerado extremamente ofensivo. Isso não é o que acontece nos dias de hoje.

Portanto, o padrão dos anos 70 acaba impondo uma série de limites para o jovem casal de namorados. Antes de mais nada, os encontros aconteciam somente em locais públicos ou sob a supervisão da família. Existiam horas rígidas que deveriam ser seguidas, tanto quando o casal estava passeando na rua quanto quando um estava no casal do outro e chegava o momento de ir embora.

Também era costume uma apresentação formal do namorado e da namorada. As regras ainda eram mais rígidas para os meninos, que geralmente tinham que se apresentar para os familiares, ou então pedir a permissão para namorar a filha diretamente ao pai da garota.

Mais conteúdo para você:  O Triste fim das chacretes

As questões sexuais também eram um verdadeiro tabu. Quase ninguém se atrevia a fazer sexo antes do casamento, mas foi justamente durante a década de 90 que muitos destes comportamentos começaram a ser alterados, chegando na situação que vivemos nos dias de hoje.

Sobre o autor | Website

Funcionário publico, historiador e blogueiro por paixão. Nascido nos anos 70 curti toda minha adolescência nos anos 80 e 90. Agora gosto de relembrar os bons momentos e fatos que marcaram época.

Gostou do Conteúdo?

Assine GRÁTIS nossa Newslleter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. C.F. disse:

    Aproveitando essa época, do mês dos namorados, vou fazer um relato aqui. Também vivi a minha juventude na década de 70. Hoje sou casado, levo uma vida feliz, posso dizer. O namoro sempre foi um sonho meu, ficava olhando as moças daquela época. Via meus amigos saírem com suas namoradas, indo a bailes, discos, as baladas daquela época e morria de inveja. Lia bastante livros sobre comportamentos de jovens, psicologia, sexo, essas coisas, tudo para aprender ao máximo sobre o assunto, sobre as mulheres. Não tinha Internet ainda. Mas minha prioridade era sempre trabalho e estudos, sabia que isso seria importante na minha vida futura, eu não estava errado. Mas acho que essa seriedade acabou sendo um motivo de atraso na minha vida. Pois na verdade, percebi muito tarde, que não levava muito jeito para arranjar uma namorada, algo que queria muito. Minha primeira namorada surgiu na minha vida graças a ajuda de uma dessas agências de relacionamentos. Mas nada duradouro. A outra veio depois: Igualmente veio de uma indicação, gostei dela, ela gostou de mim, e acabou se tornando a minha atual esposa. Foi um relacionamento muito breve, casamos muito rápido. E foi um casamento que aconteceu muito tarde na minha vida. Portanto, essa coisa de namoro foi algo que na realidade, não aconteceu na minha vida, não cheguei a curtir essa fase. Apesar de estar casado, hoje guardo essa frustração, e tenho uma inveja dos guris de hoje que namoram muito fácil, vivem uma vida sexual regular, fazem tudo que um par casado faz, inclusive filhos, mas não se casam. Parece que tem medo de se casar. Aproveito aqui e dou um conselho: Casem, enquanto é cedo pois mais tarde as coisas podem se tornar mais difíceis. Mas sejam responsáveis. Só isso.
    Continuo lendo bastante esses sites que abordam esse tema, para para trocar idéias, ver orientações das pessoas.

  2. Eli Braz disse:

    Obrigado por sua visita ao nosso Blog. Faça sempre assim. Sua leitura e comentário são valiosos. Abraços.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.