Scroll Top

Assine GRÁTIS nossa Newsletter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

cinema

Christiane F

Não é pra me gavar, mas realmente os tempos eram outros quando eu era adolescente, apesar de existir Christiane F. Não sei se era pela educação que meus pais me deram ou pelo sistema penal/policial da época. Mas antigamente não era comum pessoas usarem abertamente drogas, nas ruas ou portas de escolas à luz do dia. Dias atrás fui levar meu cachorro pra dar uma volta no quarteirão e la estava um grupo de jovens reunidos na esquina, ao me aproximar comecei a ouvir suas falas e adivinha: o assunto era quem iria comprar ou pagar a droga(não sei ao certo se maconha ou crack).

Lembro de certa vez fui ao uma festa no bairro, no caminho encontramos outro grupo de jovens conhecidos, eu ate então nunca tinha visto ou   ouvido ninguém falar que usava drogas. Mas foi se formando um grupo à parte ao meu, quando um deles veio até nós dizendo que estavam indo para uma mata próxima dali para fumarem maconha, tudo isso num ar de mistério demonstrando um certo temor de serem pegos ou de surgir algum tipo de comentário a respeito , perguntou também se nós gostaríamos de ir também. Não só eu como muitos dos meus colegas recusamos o convite além de ficarmos espantados com a situação.

Hoje certamente esses jovens não teriam  o que temer, poderia fazer uso da maconha salvaguardados por uma legislação complacente, e uma sociedade refém. Antigamente o usuário era discreto e respeitava (ou temia) usar na presença de outras pessoas ou mesmo ser identificado como viciado. Hoje isso dá até um certo status. Algo se perdeu no meio do caminho, ou antes o consumo de drogas era o mesmo só que mais escondido ou realmente o numero de usuários era bem menor. Vai saber. O certo que a sensação de segurança era bem diferente do que é hoje. Me preocupo com as próximas gerações, pois  se a evolução nos trouxe ate aqui temo que chegue ao ponto de que grupos de usuários(traficantes) comecem a impor o uso aos nossos filhos e netos.

O Caso Christiane F

Christiane F

Lembro também do filme “Cristiane F. 13 anos drogada e prostituída” cuja história forte causava temor pelo fim que as drogas levam as pessoas, o que foi se perdendo com o tempo, resumidamente assim iniciou a triste vida de Cristiane F.:

Mudou-se para Berlim em 1968 com os pais e com a irmã mais nova. Morou primeiramente no distrito municipal de Kreuzberg, depois no distrito municipal de Neukölln. Mas foi no bairro de Groppiusstadt, onde Christiane começou a envolver-se com as drogas ao frequentar o Grupo de Jovens. Em 1974, aos 12 anos de idade, começou a fumar maconha e consumir medicamentos como Valium e Mandrix, além de LSD. Em 1975, aos 13 anos, Christiane começou a frequentar o Sound, “a discoteca mais moderna da Europa”, em Berlim. Ali conheceu Detlef (seu futuro namorado) além de Axel, Babsi, Atze, Zombie e Stella, entre outros.

Uma nova droga começava a circular na cena em Berlim. Era a heroína, ou simplesmente “H”, como era mais conhecida. Apesar de temida pelo seu alto poder de viciar e por representar alto risco de morte, todos os amigos de Christiane F acabaram viciando-se com heroína, inclusive Detlef. Christiane inalou heroína pela primeira vez após assistir a um show de David Bowie. Tempos depois, numa casa de banho pública na Estação Berlin Zoologischer Garten, injetou heroína pela primeira vez. A partir daí Christiane F afundaria cada vez mais no vício. À medida que o vício avançava não só Christiane F aos 14 anos, como todos os seus amigos, começou a se prostituir na Estação Zoo para comprar heroína. A própria Christiane F relata que no início, escolhia os clientes com quem faria programa e que se limitava a masturbá-los ou praticar sexo oral. Mas com a necessidade de “se picar” três vezes ao dia, Christiane passou a aceitar qualquer cliente que se apresentasse (inclusive estrangeiros) e a praticar sexo dentro de carros. Os tempos de prostituição duraram de 1976 a 1977, quando foi presa e acusada de tráfico e consumo de drogas. Foi isso que a levou a começar se picar, prostituir por dinheiro.

Não sei ao certo o que mudou, mas sinto que esta pior ser jovem hoje do que em nossa época. Talvez seja uma sensação comum quando envelhecemos,mas temos muito mais violência explicita hoje do que antes e com certeza isso não é bom. Há, quando a Cristiane F. aos 46 anos de idade voltou a se drogar perdeu a guarda do filho e continua sua luta pela reabilitação.

Christiane F aos 46 anos de idade ainda lutando pela reabilitação.

Christiane aos 46 anos de idade ainda lutando pela reabilitação.

Sobre o autor | Website

Funcionário publico, historiador e blogueiro por paixão. Nascido nos anos 70 curti toda minha adolescência nos anos 80 e 90. Agora gosto de relembrar os bons momentos e fatos que marcaram época.

Gostou do Conteúdo?

Assine GRÁTIS nossa Newslleter e fique atualizado. Não esqueça de confirmar sua inscrição quando solicitado.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

4 Comentários

  1. Nauru disse:

    I am just writing to make you understand what a fabulous discovery my cousin’s girl went through using your web page. She figured out such a lot of pieces, most notably what it’s like to have an excellent giving mindset to have other people quite simply learn selected advanced issues. You truly surpassed my expected results. Many thanks for delivering these effective, healthy, educational and as well as unique tips on the topic to Sandra.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.