Brincadeiras das antigas: Mantendo viva a infância

5
277
views

As brincadeiras antigas eram(são) o maior barato! Lembra de alguma para compartilhar?

Eu lembro de várias. Por isso separei um espaço para compartilhar com você.

Brincadeiras antigas: Boas lembranças

Lembrei inicialmente do “cozinhadinho”. Então pensei que era bom eu falar um pouco  mais sobre essa brincadeira. Supondo que alguns dos amigos não tenham tido a oportunidade de conhecer a brincadeira.

Bem como o próprio nome diz cozinhadinho envolve a atividade de cozinhar, mas os cozinheiros eramos nós, sob supervisão de um adulto é claro.

Havia uma divisão de tarefas, uma certa organização com hierarquia. Neste caso as meninas eram as mais respeitadas, pois eram que faziam a comida.

Todos contribuíam com um pouco de mantimento: arroz, feijão, carne e algum legume ou verdura. Os meninos ficavam a cargo de arrumar lenha e improvisar o fugão, sempre no quintal da casa de algum dos pais.

 Brincadeiras das antigas: Mantendo viva a infância Curiosidades
http://ecultura10.blogspot.com.br/

A diversão era  garantida. Durante toda a brincadeira só havia risos e alegria, pura interação, aprendíamos a nos organizar, a respeitar a opinião do outro, e o mais a não criticar se a comida não estava boa.

Rsrsrs!

Mas as vezes isso acontecia mesmo. E hoje numa visão adulta da coisa vejo como isso era importante para nossa formação pessoal.  Ao mesmo tempo me entristeço por não ver mais isso acontecer entre as crianças.

Não sou contra a novas tecnologias, se fosse não teria um blog. Mas sou a favor de que o que  foi bom ainda tivesse espaço na vida de nossos filhos (as). Sou contra ao individualismo que a vida moderna impulsiona.

Quer seja  fazendo o “cozinhadinho”, pulando corda, jogando pião ou empinado pipa o importante é a interação que isso proporciona.

Há existiam várias outras brincadeiras legais, veja.

Conheça algumas das brincadeiras dos anos 70 e 80.

As coisas antigamente não eram tão voltadas para a tecnologia, e as cidades inclusive eram mais seguras, e as crianças brincavam nas ruas, nos parques, colégios. Bastava apenas se ter um grupo de crianças e um elástico ou um anel ou um barbante que a brincadeira estava garantida.

O bom e velho pega- pega era uma brincadeira muito simples, onde quem possui um papel principal é o pique, um lugar mágico que torna qualquer pessoa imune ao pegador.

 Brincadeiras das antigas: Mantendo viva a infância Curiosidades

As meninas por sua vez brincavam de passa anel, e ficavam todas sentadas em uma roda e alguém tinha um anel dentro de suas mãos fechadas, como conchas e iam passando as mãos dentro de todas as mãos do pessoal que estava sentado, e de repente largava o anel de forma aleatória nas mãos de alguém.

Contando com um simples barbante, era possível jogar cama de gato, o que era um jogo que se tirava um barbante da mão do outro, e figuras geométricas iam então se formando.

Com um papel e canta, era possível brincar de stop, onde todos tinham uma letra escolhida, e era necessário escrever nome, objeto, cep, carro, fruta, tudo com esta cor, quem terminasse primeiro tinha um número x de pontos.

Além disto, furando duas latinhas e passando um barbante ligando uma a outra era possível construir um telefone, um deles que ficava em cima da árvore e o outro embaixo conversando através de algumas latinhas.

Outra brincadeira muito divertida era brincar de faroeste com um revólver de espoleta, tinha o de seis e o de doze tiros, e até existia inclusive um que fazia o barulho de ricochete de balas.

Rouba bandeiras geralmente se jogava na praia para não machucar quando se caía, e normalmente a bandeira era um chinelo, uma camisa ou mesmo um pedaço de pau, porque a bandeira mesmo era bem raro quem tinha.

E ai faltou alguma brincadeira?

Sobre a importância de brincadeiras saudáveis tem um artigo interessante no site: http://delas.ig.com.br/filhos/a-importancia-do-brincar/n1237554276340.html , que relato parcialmente aqui, mas os créditos são totalmente dos autores e editories do site, aos quais agradeço pelo conhecimento compartilhado. Vamos ao que falam sobre como incentivar seu filho a brincar.

Como incentivar seu filho a brincar

Estabelecer um horário diário ou semanal para brincar com seu filho é o primeiro passo para garantir que ele faça esta atividade com frequência.

Muitos pais lotam a agenda dos filhos com afazeres extracurriculares, o que extingue o momento da brincadeira. “Toda agenda de criança deve ter um espaço diário para não fazer nada – é aí que surge o espaço para brincar”, orienta Áderson.

Participar da brincadeira dos filhos também dá uma vantagem aos pais: conhecê-los melhor. Como a criança se expressa brincando, os pais observadores descobriram as vulnerabilidades e os pontos fortes de seus filhos.

“Brincar juntos aumenta o grau de confiança e o vínculo entre pais e filhos”, diz.

Dar brinquedos de diferentes materiais e tipos também é recomendável. Por isso, nada de entupir a menina só com bonecas e chegar com um carrinho debaixo do braço a todos os aniversários do menino.

As crianças precisam experimentar de tudo. “Cada brinquedo traz uma mensagem e vai despertar o interesse e a curiosidade de alguma forma”, ressalta Ruth.

O importante é o brincar, e não o brinquedo. É possível improvisar brinquedos com uma fruta, uma caixa de papelão vazia ou o que quer que esteja à mão. E não se preocupe se não puder dar a seu filho aquele carrinho movido a pilhas de última geração.

“Só na visão do adulto um brinquedo eletrônico é divertido. Para a criança, brinquedo que brinca sozinho é enfadonho”, completa Tião.

Essa foi minha lembrança. E a sua qual é? Diz ai!

Artigo anteriorEducação Moral e Cívica
Próximo artigoViva a Woodstock
Nascido nos anos 70 curti toda minha adolescência nos anos 80 e 90. Agora gosto de relembrar os bons momentos e fatos que marcaram época.
COMPARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here